sábado, março 18, 2006

MES HOMMAGES, MADAME!

ISABEL MAGALHÃES
Broadway; 1995; 46 x 33 cm; óleo sobre tela
(Homenagem a Maria Helena Vieira da Silva)

11 comentários:

  1. Excelente.
    Ainda um dia heide de tentar pintar.
    Por enquanto vou tentando artezanato.
    Um bom domingo para ti.

    ResponderEliminar
  2. O gmail tanbém anda com problemas.
    Logo que possa faço o upload das peças de artezanato para o Klik Klik.
    Obrigado pela visita.

    ResponderEliminar
  3. Muito belo este quadro. Um dia com mais vagar direi quais os meus preferidos. Dos que estão nos seus blogs. Onde por vezes coloco umas imagens de pintura é no outro blog no Memórias. Os autores mencionados são-no não tanto por preferência mas por alguma notícia ou efeméride. Tenho lá imagens do Almada, do Chagal, Kandinsk, Botero. Uma miscelânia.
    Por exemplo aqui
    http://memoriasdopresente.blogspot.com/2005_10_01_memoriasdopresente_archive.html tenho imagens de vários portugueses da colecção Berardo
    aqui
    http://memoriasdopresente.blogspot.com/2004/07/almada-negreiros.html
    http://memoriasdopresente.blogspot.com/2004/07/almada-museu-arte-moderna.html
    histórias do Almada. Sou amigo do filho. Fizemos a tropa juntos. Já não vejo há anos.

    ResponderEliminar
  4. Penso que todos os que pintam começaram um dia por tentar reproduzir alguma tela de que gostassem. Comigo tb aconteceu o mesmo e fi-lo apenas de 2 ou 3 telas, embora a última se tivesse 'arrastado penosamente' porque 'fazer à vista' é algo que inibe a minha criatividade e está completamente deslocado em relação à minha maneira de estar ao cavalete.

    Esta tela da VIEIRA foi reproduzida 'a olho' a partir de uma pequena foto de uns 3 x 2 cms que vi numa revista.

    À época nunca tinha visto o original e desconhecia em absoluto o seu tamanho. Só muito mais tarde tomei conhecimento das suas reais dimensões; é uma tela com mais de 100 cm de altura para uma largura relativamente estreita.

    Foi só na década de 90 quando fui a NY pela primeira vez, que 'percebi' na íntegra o que a VIEIRA pintou.

    Está lá tudo... até o relógio da Sony e o painel digital gigante! :)

    Por respeito para com a autora datei e assinei atrás.

    ResponderEliminar
  5. Não serei original, certamente, ao dizer que usas cores preciosas.
    E que gosto do "abstraccionismo lírico", alegre e telúrico (ao contrário do da Vieira da Silva), que também exsuda das tuas telas - boas para fazer poesia sobre elas, ainda que já sejam poemas visuais.
    Gostei imenso. E é uma honra para mim teres gostado de espreitar as bagatelas.:)Dorme bem. Continuação de boas inspirações.:)

    ResponderEliminar
  6. Viva, nnannarella;

    para mim tb é uma honra receber um comentário direccionado a pontos mais específicos da minha pintura... :)

    É sabido que a Grande Senhora Maria Helena Vieira da Silva usava uma paleta mais fechada, mais consentânea com outras vivências... outras épocas... embora tivesse casos pontuais de uma cromia mais aberta... 'Broadway', 'Bandeiras Vermelhas', 'Biblioteca, 1949' e várias outras.

    Uma camada larga do público, - e dos 'juízes da arte', Paris, início do séc XX de onde Kandinsky tb foi banido - é renitente a mudanças...

    Ontem como hoje alguns continuam a optar por decorar a casa com reproduções exaustivas e cuja moldura daria para comprar um original a um pintor contemporâneo. :)

    já estou a 'divagar'... :)

    Obrigada, volta mais vezes.

    Um []

    ResponderEliminar
  7. por vezes passo aqui mas nunca comentei.nunca sei o que dizer :)

    posso dizer que esta não tinha visto! e que gosto! (só sei dizer isto...)

    bom dia

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde, TD!

    ........ obrigada pela apreciação. Eu entendo... por vezes leio textos lindissimos e as palavras não surgem, fico inibida! :)

    ResponderEliminar
  9. muito bonito, assim como quase todos :-)

    ResponderEliminar
  10. Mónica;

    Mais uma vez, obrigada.

    Sinceramente.
    I.

    ResponderEliminar